Menu

SINDICÂNCIA: Após vários dias de internação Bebê morre e Maternidade de Cajazeiras afasta médico envolvido . Entenda

O filho da Cajazeirense Fernanda Pereira Freitas faleceu na maternidade da cidade de Patos, após 12 dias de internação.
Fernanda deu entrada na Maternidade Dr. Deodato Cartaxo, no Hospital Regional de Cajazeiras, por volta das 15:30 da tarde do último dia 26 de junho, para ganhar bebê, mas, a jovem só foi atendida às 20:00 horas após entrar em trabalho de parto.

Porém, até as 23:00 ela ficou na enfermaria sentindo fortes dores. Somente após reclamar bastante das dores é que ela foi levada para a sala de parto.A jovem foi atendida pelo medico João Fabio, o mesmo insistiu durante muito tempo em fazer o parto natural, o que pode ter agravado a situação do bebê, que nasceu sem oxigênio no cérebro, visto que Fernanda só foi encaminhada para cirurgia às 00:20, quando o médico finalmente percebeu que o bebê não nasceria de parto natural.

No entanto, ela e a criança já haviam passado por muito esforço físico. Na cirurgia ela apresentou quadro de hemorragia, porém não foi transferida para a UTI.
Ao chegar em Patos e ver o bebê, a mãe presenciou o mesmo tendo uma parada cardíaca, o que levou ao óbito.
Reportagem:  José Dias Neto – Diário do Sertão

 

O HRC emitiu uma nota sobre o caso:

ESTADO DA PARAÍBA
SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE
HOSPITAL REGIONAL DE CAJAZEIRAS
MATERNIDADE DR. DEODATO CARTAXONOTA DE ESCLARECIMENTOConforme vinculado na impressa, sobre o atendimento da paciente Fernanda Pereira de Freitas, durante a condução de seu trabalho de parto na maternidade Dr. Deodato Cartaxo do HRC, onde consta que por falha nos procedimentos dispensados pelo médico obstetra que acompanhou o trabalho de parto desta paciente, resultou em complicações para o recém nascido que culminaram com o óbito deste, a direção deste serviço de saúde obstétrico entendeu que seria necessário afastar o médico envolvido no atendimento no sentido de aguardar a conclusão da sindicância que foi aberta para apuração dos fatos relacionados ao referido caso, para tomar outras providências junto ao órgão de classe e também com intuito de zelar pelo atendimento qualificado e humanizado às gestantes atendidas na Maternidade Dr. Deodato Cartaxo – HRC, uma vez que já existiam outras reclamações junto à ouvidoria e coordenação da Maternidade do referido profissional médico.Assessoria de Imprensa.

Deixe seu comentário