Menu

Saúde de Fabiano Gomes se agrava e defesa pede prisão domiciliar: “Corre risco de vida”

A defesa do comunicador Fabiano Gomes, detido desde o dia 22 de agosto após descumprimento de medida cautelar inerente à Operação Xeque-Mate, ingressou no Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) com um pedido de prisão domiciliar do radialista. Segundo o advogado Gustavo Botto, um dos responsáveis pelo caso, Fabiano possui saúde debilitada e quadro tem se agravado com a detenção.

Fabiano Gomes sofre de depressão e diabetes e chegou a precisar de cinco atendimentos médicos ao longo dos 22 dias na Penitenciária de Segurança Máxima Dr. Romeu Gonçalves de Abrantes (PB1), explicou advogado.“Laudos comprovam que ele está sofrendo de uma grave depressão, quadro de diabetes também grave. Ele hoje inclusive apresenta feridas nos pés, e pra quem sofre de diabetes pode levar à necrose e amputação de membros. Eu tenho convicção de que ele corre risco de vida”.

De acordo com Botto, Fabiano hoje está submetido a um regime de detenção diferenciado no PB1, no intuito de preservar a sua integridade física. Porém, medida tem agravado ainda mais sua saúde física e psíquica, o que ampara ainda mais o pedido de prisão domiciliar.

“Isso tem um peso, porque ele fica em um regime que ele sequer tem banhos de sol, é uma cela isolada sem contato nenhum, e isso de certa forma agrava o estado de saúde dele. O pedido é pautado nesse caráter humanitário, de direitos básicos humanos, que precisam ser atendidos”, afirmou.

Ainda segundo a defesa, a manutenção do comunicador no presídio de segurança máxima é um ato desproporcional, visto que Fabiano sempre colaborou com a Justiça e não oferece risco à sociedade.

“Ele tem total interesse em facilitar o processo. Não justifica a manutenção dele na prisão, não há fundamentação real para a prisão preventiva de Fabiano Gomes. A prisão foi uma forma de lição, e ela já foi muito bem dada”, disse.

 

Deixe seu comentário