Menu

Laudo perícial aponta morte violenta de 31 cachorros e contradiz o que disse o ex-secretário de Igaracy. Leia.

O laudo pericial realizado pelo Núcleo de Laboratórios Forense do Instituto de Polícia Científica (IPC) constatou que os 31 animais que foram executados no início do mês em Igaracy, foram vítimas de morte violenta. O laudo foi entregue nesta segunda-feira (26) à Polícia Civil.

De acordo com a perita criminal responsável pelas investigações, Michelle Nóbrega, a análise feita não deixa dúvidas da forma que os cães foram mortos. “Não há outra forma de produzir aquelas marcas de sangue encontradas, principalmente na parede, se não a ação mecânica”.

A ação mecânica, segundo Michelle é quando se utiliza algum instrumento para provocar lesão. Nesse caso, a morte pode ter sido causada por pauladas, pedradas, e qualquer outra forma violenta que se configure como ‘a ação de uma matéria sobre outra’. Porém, por conta da violação do espaço não há como saber com qual instrumento os cães foram sacrificados.

Também está descartada a prática de eutanásia, que segundo o secretário de Saúde de Igaracy, foi utilizada para a matança. “A eutanásia ou qualquer morte por substância química não causaria o que a gente viu no local”, conta a especialista, que descarta até a hipótese da agressão física após a morte. Segundo Michelle, a violência física foi o motivo da morte dos animais.

Agora, o laudo da perícia vai ser anexado ao processo da Polícia Civil, que segue com as investigações.

Fonte: Maispb

Deixe seu comentário