Menu

Presidente da CAGEPA garante funcionamento da Adutora da Zona Norte de Cajazeiras em 90 dias. OUÇA!

O presidente da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), Marcos Vinicius, revelou nesta quinta-feira que a adutora da zona norte de Cajazeiras, deverá iniciar os testes em um prazo de 90(noventa) dias, a água estará chegando as torneiras dos moradores daquela localidade, e acabando de vez com a falta do precioso líquido naquela área.
Ouça áudio com trecho da entrevista, onde ele garante o inicío dos testes em 90 dias. 
 
Obra
A adutora da zona norte da cidade de Cajazeiras, implantada pela Secretaria de Recursos Hídricos do Estado e recursos advindos do governo federal, ainda não foi concluída. 
O projeto prevê 13,6 km da adutora de Lagoa de Arroz, com ponto de interligação no local das captações de Bom Jesus e Santa Helena, onde existe uma estrutura operacional, uma Estação de Tratamento de Água (ETA) e uma Estação Elevatória.
A ordem de Serviço para implantação da adutora vinda de Lagoa do Arroz, para abastecer a zona norte de Cajazeiras foi assinada pelo governador Ricardo Coutinho, no dia 13de janeiro de 2014.
Abastecimento
Caso a adutora saindo de Lagoa do Arroz, para zona norte entrasse em operação, isso iria minimizar os problemas com o abastecimento d’água da cidade.
Seriam duas entradas de água, uma de Lagoa do Arroz e a outra de Boqueirão de Piranhas, apesar de sabermos que o açude de Lagoa do Arroz também está com pouca água.
O principal problema hoje em relação ao sistema de abastecimento d’água é a tubulação antiga, em algumas parte da cidade, com mais de 40 anos e em função disto, apresenta vazamentos constantes e prejudicando o abastecimento, principalmente dos bairros mais altos e distantes.
A Cagepa mesmo antes da crise hídrica já operava através de manobras, fechando o registro para uma área da cidade e liberando para outra e após o racionamento a situação se complicou, ficando alguns setores vários dias se água.
O açude de Lagoa do Arroz tomou um pouco de água nas chuvas de janeiro, entretanto, a situação é preocupante. O manancial tem capacidade para 80 milhões 220 mil 750 metros cúbicos de água. Atualmente está com 5 milhões 566 mil e 500 metros cúbicos, que corresponde a apenas 6.9% de sua capacidade. O açude começou janeiro com 51 milhões 557 mil metros cúbicos de água.

TV Diário do Sertão