Menu

Pronunciamento do deputado José Aldemir na Assembleia Legislativa é cortado pelo presidente Adriano Galdino

Apesar dos apelos do presidente Adriano Galdino (PSB) para que os deputados da Assembleia Legislativa da Paraíba não municipalizassem o debate na Casa, trazendo questões locais a plenário em detrimento dos assuntos estaduais, está sendo cada vez mais difícil fazer o controle.
Na manhã desta quinta-feira (18), por exemplo, o deputado estadual José Aldemir (PEN) utilizou seu tempo na tribuna, no pequeno expediente, para municipalizar o debate, trazendo à tona questões referentes à prefeitura de Cajazeiras, município onde ele é cotado como pré-candidato a gestor.
O fato não agradou ao presidente Adriano Galdino, que chegou a tolerar o discurso durante o tempo estipulado para cada deputado discursar na tribuna, mas logo que o cronometro zerou, Galdino cortou o microfone do colega, avisando que não ia ceder mais tempo na tribuna ao colega porque já havia antecipado que não iria permitir que a Casa se tornasse em um palanque político.
“Deputado José Aldemir, eu poderia até tolerar não só um minuto, mas dez minutos, desde que o assunto fosse estadual, mas assunto municipal e de politica municipal eu não vou permitir nem você nem qualquer outro deputado. Eu já disse na Casa que não vou deixar, seu tempo já terminou, eu aguardei, apesar de discordar, mas eu acho que nós devemos nos ater a questões estaduais e jamais à politica partidária. O seu tempo já está esgotado e eu peço que o deputado deixe o próximo inscrito usar a tribuna”, asseverou.
Galdino disse que vai continuar agindo com coerência e que a Casa necessita de debates propositivos e não de picuinhas políticas. Durante o pronunciamento na tribuna Aldemir fez alusão à reportagem do programa Fantástico, da Rede Globo, que mostrou municípios sertanejos alvos da Operação Andaime, que investiga fraude em licitações e desvio do dinheiro público. No quadro “Cadê o dinheiro que estava aqui” a gestão em Cajazeiras é uma das apontadas entre as que praticam fraude em licitações para superfaturar obras e embolsar recursos públicos.
Veja trecho do discurso do deputado na tribuna da ALPB
“Senhoras e senhores parlamentares, jornalistas do comitê de imprensa, servidores da Casa, telespectadores da TV ALPB, mas uma vez eu venho à tribuna desta Casa, desta feita no primeiro expediente porque eu tencionava ontem me reportar ao que a Paraíba viu e assistiu através do Fantástico e deixei de falar pelo respeito que tenho ao deputado Jeová Vieira Campos, porque no dia anterior quando me reportei a esse assunto, o deputado Jeová veio depois da minha fala à tribuna para me contraditar, mostrando através de papel de prestações de contas, feita pela doutora Denise, a quem tenho todo respeito, mostrando que ela não tinha nada a ver numa relação com Justino, que foi preso, que era quem realizava das licitações fraudulentas e eu quero aqui dizer a Paraíba inteira que vale mais uma imagem do que mil palavras e uma pilha de papeis. Eu quero mostrar a parceria que existia entre o ex-prefeito Carlos Antonio, esposo de Denise, e o Justino. E eu pergunto como diz o nome do quadro “Cade meu dinheiro em Cajazeiras””, discursou…
Logo após Aldemir pede para serem exibidas fotografias de Justino ao lado de Denise.
“Queria que fosse passado as imagens de Denise entregando a ordem de serviço a Justino, mostrando a relação de amizade que existiu durante esse tempo, entre os dois, juntamente com o secretario e espero que Jeová, que deveria estar aqui e, visse que a exibição de papeis não vale nada diante daa imagem. A parceria existiu, então contra fatos não há argumentos”, falou.

TV Diário do Sertão