Menu

“Disse que ia me matar, esquartejar’, relatou dançarina em mensagem de texto antes de ser morta

A dançarina cearense Ana Carolina de Souza Vieira, de 30 anos,
encontrada morta na manhã desta quarta-feira (4) no apartamento em que
morava, na Zona Sul de São Paulo, havia mandado mensagens para a família
pelo celular alertando sobre ameaças de morte vindas do ex-namorado.
“Ele disse que ia me matar, que ia me esquartejar”, disse a vítima em
uma gravação.

Em outras mensagens,  Ana Carolina chora ao falar que vinha sendo
perseguida. “Não aguento mais o Anderson me ligando, cara, ai meu Deus.
Isso é uma tortura. Eu não sei mais o que fazer, eu não sei mais pra
quem pedir”, disse em outra mensagem.

O ex-namorado Anderson Rodrigues Leitão, de 27 anos, foi preso
nesta quarta e confessou o crime. Ele alega ter matado a modelo depois
de uma briga. Levado inicialmente ao 91 DP, já foi transferido nesta
quinta-feira (5) para o Centro de Detenção Provisória de Pinheiros.

Ele morava em Fortaleza,
de onde viajou de avião para a capital paulista na sexta-feira (30), e
insistia em encontrar a vítima. O medo da dançarina encontrar com o ex é
revelado por mensagens de Whatsapp no grupo da família, ao qual o G1 teve acesso.

Confissão
Anderson confessou à polícia que matou a dançarina na noite de segunda-feira (2) e ficou dois dias com a ex-namorada morta. Ao G1, ele revelou que maquiou o rosto e penteou o cabelo dela após o crime.

Ele chegou a São Paulo na sexta-feira e foi direto para o prédio de
Ana Carolina. Segundo a polícia, ele chegou a entrar no condomínio, mas
foi retirado do local pelos zeladores atendendo a um pedido da
dançarina, que foi orientada pela família a proibir a entrada dele.

Na última segunda, no entanto, ela permitiu que o ex-namorado subisse após ele insistir muito.

 Com duas fotos de Anderson que a vítima deixou na portaria do prédio
indicando que ele estava proibido de entrar no local (Foto: Glauco
Araújo/G1)

Deixe seu comentário