Menu

Após reunião Carlos Antonio não vai indicar substituto para o lugar de Léa Silva no governo Ricardo

O ex-prefeito de Cajazeiras, Carlos Antônio (DEM), não deve indicar
nenhum nome do seu grupo político para substituir a vereadora de
Cajazeiras Léa Silva (DEM) que foi exonerada pelo governador Ricardo
Coutinho, por se manifestar publicamente em solidariedade ao
vice-prefeito Júnior Araújo (PTB). 
O petebista acusou o governo de
retaliação política no ato de mudança da empresa responsável pela
hemodiálise do Hospital Regional da cidade.
Falando ao Polêmica Carlos Antonio disse:  “a escolha caberá ao
governador,que decidirá sobre a substituição no momento que julgar
oportuno. “Conversamos com o governador, mas temos deixado ele à vontade
para decidir, até porque o cargo pertence a ele, e ele faz do cargo que
entender melhor”, afirmou.
Sobre o processo que resultou na saída de Léa Silva do governo,
Carlos Antônio disse que o que houve na verdade foi uma interpretação
errada dos acontecimentos, mas como “caiu na mídia” a exoneração da
ex-auxiliar acabou sendo inevitável.
Aos amigos o ex-prefeito tem dito que o governador foi mal informado e
envenenado sobre o episódio e não ficou nada satisfeito com o desfecho e
a demissão de sua aliada. Um vereador do grupo do prefeito Carlos
Antonio revelou para o Polêmica Paraíba que depois de uma conversa com o
presidente  estadual do DEM, ex-senador Efraim Morais, decidiu que não
vai indicar nenhum nome para o lugar de Léa Silva a Casa Civil do
governador.
A região de Cajazeiras que deu uma vitória esmagadora ao governador
Ricardo Coutinho na última eleição,  sempre sonhou em ter um
Cajazeirense ocupando uma secretário de estado. A pretensão do
ex-prefeito Carlos Antonio é negociar com o governador a indicação de um
sertanejo para outra pasta no governo.  Em Cajazeiras, o líder político
e aliado do governador, que também se solidarizou com Júnior Araújo nas
redes sociais.

Deixe seu comentário