Menu

Adjamilton diz que oposição não pode se rebaixar a Gobira e que Gildemar Pontes só está radicalizando

O advogado e jornalista Cajazeirense, Adjamilton Pereira (PMDB),
realizou uma polêmica participação por telefone na rádio Mais FM, ao
programa Mais Debate onde, na oportunidade, acusou o presidente do PSOL,
o professor Carlos Gildemar Pontes, de estar tumultuando e
radicalizando a pré-campanha para prefeito da cidade de Cajazeiras.

Adjamilton
afirmou que o os membros da oposição não devem se rebaixar para Antônio
Gobira (PSOL) e não devem estar o tempo todo correndo atrás do
pré-candidato, na tentativa de montar uma composição única das oposições
de Cajazeiras.
“Nós
não podemos também estar se rebaixando demais, correndo atrás como
estão fazendo, porque é aquele velho ditado ‘quem muito se abaixa
termina mostrando o fundo da cueca’”, falou.
“O
Garotinho”, como é conhecido, disse ainda que Gildemar está atuando
como quem é o dono da bola em uma pelada de futebol, dando a entender
que, pelo fato de ser presidente do PSOL, o mesmo está usando a imprensa
para radicalizar com quem está querendo compor com seu partido, dando
verdadeiras “patadas” publicamente no deputado Zé Aldemir.
Perguntado
pelo radialista Olivan Pereira, o Big Boy, sobre o que ele diria sobre
as declarações que o presidente do PSOL Carlos Gildemar a cerca de que
seu partido não se coligaria com algumas agremiações partidárias, a
exemplo do PMDB, Adjamilton insinuou que Gildemar estaria servindo como
ferramenta do grupo de situação para desestabilizar o grupo de oposição.
“É
como se ele estivesse jogando como ponta de lança da situação dentro da
oposição… Gildemar está tendo mais espaço nos programas de rádios de
Cajazeiras e se a gente fosse mudar isso para o futebol é como se ele
fosse o dono da bola, e vocês ao invés de estarem entrevistando o craque
do time que é Gobira, você estão entrevistando só o dono da bola, que
se diz ser Gildemar Pontes, e aí o processo está invertido, ele deve
estar servindo algum interesse”, completou.
O
fato é que a entrevista coloca mais fogo nesta pré-campanha para
prefeito da cidade de Cajazeiras, desta vez criando um clima de
instabilidade no grupo de oposição da cidade.
 
Fonte : NovaOpiniao

Deixe seu comentário